Respeito pelo ser humano

Sem categoria

DESIDROSE: O QUE É, CAUSAS E TRATAMENTOS NATURAIS

Além da coceira e da irritação, a desidrose pode resultar em formação de bolhas nas mãos e nos pés. Muito frequente em pessoas que suam demais, a desidrose tem surgimento comum em estações mais quentes, como o verão. Entenderemos que é desidrose, quais suas causas e os principais tratamentos.

O que é desidrose e suas causas

A desidrose é um problema que se abate sobre a pele, podendo ocorrer tanto nas mãos quanto nos pés. Normalmente, o paciente sente uma incômoda coceira na região. Com o passar dos dias, a região vai tomando aspecto avermelhado e então notam-se o surgimento de pequenas bolhas carregadas de líquido. Quando as bolhas desaparecem, a mão ou o pé fica com aspecto ressecado e desidratado.

As causas da desidrose não são claramente pontuadas pela medicina. Sabe-se até então que o surgimento da desidrose é muito comum em pessoas que suam bastante nas mãos e nos pés. O início das coceiras é favorecido com o calor, tão logo é recorrente que a desidrose se manifeste principalmente no verão.

As bolhas ocasionadas pela presença da desidrose podem levar até 3 semanas para secarem completamente. É comum que a coceira cesse pouco antes do total ressecamento das bolhas.

Ainda dentro das possíveis causas, acredita-se que o estresse pode ser agente desencadeador de desidrose. Seu aparecimento também é frequente em pessoas com alguns tipos de alergias, pois podem emanar como reação alérgica. Além disso, pessoas que estão com as mãos e pés constantemente molhados são mais propensas ao desenvolvimento da desidrose.

O tratamento para desidrose

O tratamento para casos de desidrose depende diretamente do aconselhamento de um médico, de preferência especialista em peles, como o dermatologista. Assim sendo, além dos medicamentos que o médico pode indicar, é possível adotar algumas medidas para tratar a desidrose em casa. Dentre os medicamentos naturais que podem ser utilizados estão:

círculo verde Aloe vera, pois possui propriedades que reduzirão a inflamação. Basta aplicar o gel de aloe vera diretamente sobre a área afetada e deixar agir por 15 minutos

círculo verde Abacate é outro poderoso remédio natural contra desidrose. Basta aplicar a polpa de ¼ de abacate sobre as mãos ou pés afetados e deixar agir por pelo menos 15 minutos

círculo verde Vinagre de maçã sobre a região irritada auxiliará no tratamento de desidrose. Basta utilizar um algodão e aplicar vinagre diretamente sobre as bolhas ou sobre a coceira. Deixe agir por 10 minutos e remova com água

círculo verde Compressa com água gelada pode ajudar a aliviar a irritação e a coceira. Pode ser feita pelo menos 3 vezes ao dia, diariamente

círculo verde Hamamélis tem poderosas propriedades venosas para a pele. Pode ser utilizada uma pomada natural desta planta ou mesmo a imersão de mãos e pés em chá de hamamélis.

Outras orientações fundamentais para se combater a desidrose são:

• Utilizar meias limpas sempre, evitando aquelas que não sejam de algodão

• Utilizar creme hidratante natural nas mãos e pés diariamente

• Caso precise utilizar luvas, dê preferência àquelas com forro de algodão

• Lave bem as mãos e os pés com sabão neutro

• Faça exercícios físicos diariamente, de preferência aeróbicos, pois melhorarão as condições do organismo, evitando variadas doenças

• Procure relaxar ou praticar ioga, pois além das condições físicas, a desidrose pode ser causada por quadros de estresse. Portanto, relaxe e cuide bem das mãos e dos pés

Orientações sobre gerais sobre a desidrose

A desidrose não costuma trazer complicações além da coceira e da formação de bolhas nos pés e nas mãos. No entanto, é importante que o profissional de saúde seja consultado assim que se notarem os primeiros sintomas para melhores indicações de tratamentos. Além disso, certifique-se de evitar umidade nas mãos e pés, além de limpá-los sempre e hidratá-los diariamente.

Fonte: https://www.greenme.com.br

Síndrome do intestino irritável:

O que é Síndrome do intestino irritável?

A síndrome do intestino irritável é uma doença comum crônica que afeta o intestino grosso (cólon) e que exige acompanhamento médico no longo prazo.

Causas

As paredes dos intestinos são revestidas com músculos que se contraem e relaxam conforme o alimento ingerido vai passando do estômago em direção ao reto. Na síndrome do intestino irritável, as contrações podem ser mais fortes e podem durar mais tempo do que o normal, fazendo com surja alguns sintomas característicos da doença, como gases, flatulência e diarreia. Poder ser, ainda, que aconteça justamente o oposto, com contrações intestinais mais fracas que o normal, o que retarda a passagem de alimentos e leva a fezes mais endurecidas.

Não se sabe exatamente o que leva uma pessoa a desenvolver a síndrome do intestino irritável, mas uma combinação de fatores pode estar envolvida:

Ainda não se sabe como alergias ou a intolerância alimentar podem estar relacionadas à síndrome do intestino irritável, mas os sintomas costumam aparecer após uma pessoa comer determinados alimentos, como chocolate, especiarias, gorduras, frutas, feijão, repolho, couve-flor, brócolis, leite, bebidas gaseificadas, álcool, entre outros.

Sintomas de Síndrome do intestino irritável

Os sinais e sintomas da síndrome do intestino irritável podem variar muito de pessoa para pessoa e são, muitas vezes, semelhantes aos sintomas de outras doenças. Os mais comuns são:

  • Dor abdominal ou cólicas
  • Sensação de inchaço
  • Gases
  • Diarreia ou constipação – às vezes alternando crises entre os dois problemas
  • Muco nas fezes.

A síndrome do intestino irritável é uma doença crônica na maioria dos casos, mas há momentos em que os sintomas manifestados são piores e momentos em que eles são melhores. Podendo, inclusive, ter fases completamente assintomáticas.

Tratamento de Síndrome do intestino irritável

Como não se sabe exatamente o que leva à síndrome do intestino irritável, o objetivo do tratamento é aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida do paciente. Ele pode ser feito pelo uso de medicamentos específicos para a síndrome.

Mudanças no estilo de vida do paciente fazem parte do tratamento. Incorporar suplementos de fibra e de medicamentos anticolinérgicos, antiespasmódicos, antidepressivos (em doses menores) e remédios contra a diarreia devem vir acompanhados de alterações radicais na dieta, com a eliminação de bebidas gaseificadas, alimentos gordurosos e glúten da alimentação diária.

Convivendo/ Prognóstico

Mudanças de estilo de vida e na alimentação precisam vir acompanhadas do tratamento médico. Adote algumas medidas e acelere a recuperação. Veja dicas:

  • Pratique exercícios físicos regulares e melhore seus hábitos de sono. Essas medidas ajudam a reduzir a ansiedade e aliviam os sintomas
  • Mudanças na dieta são necessárias. No entanto, não há um cardápio fixo a seguir, pois a doença difere de uma pessoa para outra e, por isso, as alterações na dieta variam de acordo com o paciente. No geral, as recomendações seguem um padrão: evitar bebidas gaseificadas, cafeína, álcool, produtos lácteos, alimentos gordurosos e glúten. Converse com seu médico antes de fazer mudanças em sua alimentação
  • Beba muito líquido. Manter-se hidratado é essencial para a recuperação
  • Alimente-se regularmente, durante todo o dia e em pequenas quantidades. Evite grandes refeições.

Lembre-se: o importante é evitar possíveis gatilhos para os sintomas da síndrome e adotar um estilo de vida saudável, mantendo um bom peso também. Excesso de peso e obesidade podem provocar prejuízos à saúde e também ao tratamento.

Complicações possíveis

A diarreia e prisão de ventre, ambos sintomas da síndrome do intestino irritável, podem levar a um quadro de hemorroidas. Além disso, se você evitar certos alimentos, pode não ter o suficiente dos nutrientes e calorias que você precisa, o que leva à desnutrição. Converse com um médico sobre a possibilidade de tomar suplementos vitamínicos.

O impacto da síndrome do intestino irritável em sua qualidade de vida pode ser a complicação mais significativa de todas. Os sintomas e o longo tratamento, juntamente com todas as restrições médicas, podem levar os pacientes à depressão.

Prevenção

A principal dica preventiva para evitar síndrome do intestino irritável é manter um estilo de vida saudável, longe de vícios e da má alimentação. Evite álcool, cigarro e drogas recreativas, bem como alimentos gordurosos, bebidas gaseificadas e consumo excessivo de cafeína.

Pratique exercícios físicos regularmente e faça exercícios de relaxamento e meditação, a fim de evitar estresse. Acompanhamento psicológico também é indicado.

Fontes e referências

  • Ministério da Saúde
  • Federação Brasileira de Gastroenterologia

 

A ACUPUNTURA COMO RECURSO PARA O TRATAMENTO DA ARTRITE

Neste Artigo:

– Sintomas
– Causas
– Tratamentos
– Tratamento pela Acupuntura
– Riscos

A artrite, um tipo de doença reumática, afeta milhões de pessoas em todo o mundo, e é considerada uma das principais desordens de saúde da terceira idade, podendo mesmo incapacitar uma pessoa. Trata-se de um processo de inflamação das articulações que atinge com freqüência a terceira idade.

Existem mais de 100 tipos diferentes de artrite, todos relacionados com algum distúrbio ou inflamação, podendo atingir uma ou várias articulações. Freqüentemente, ocorre depois de um traumatismo.

Dois dos tipos mais comuns são a osteoartrite e a artrite reumática.

Uma terceira forma, também comum, é a gota, causada por depósitos de cristais de um catabolismo do organismo, o ácido úrico, nas articulações do doente.

A artrite reumatóide, a mais comum entre os pacientes da terceira idade, é acompanhada, normalmente, de muita dor. Como na velhice há uma diminuição da sensibilidade à dor, qualquer tipo de dor deve ser sempre valorizada.

Sintomas

Entre os sintomas da osteoartrite, podemos citar, principalmente, a inchação, dor, rigidez articular e, às vezes, a deformação das articulações, pele vermelha e brilhante sobre as articulações e limitação dos movimentos.

Por vezes, ocorre dormência nas mãos, perda de peso ou de apetite, febre ou uma sensação de mal-estar. Os quadris, os joelhos, a coluna vertebral e as mãos são as partes mais afetadas.

As cartilagens que revestem as extremidades ósseas que formam as articulações degeneram-se, tornando-se rugosas e estratificadas, fazendo com que os ossos rocem entre si e se desgastem quando as articulações se dobram. Os músculos e os ligamentos também ficam enfraquecidos.

Durante uma crise, os tecidos moles, os tendões e os ligamentos das articulações ficam inflamados. Geralmente, os pés e os dedos das mãos são os primeiros a ser afetados; depois, são os punhos, os joelhos, os ombros, os tornozelos e os cotovelos.

Causas

A maioria das causas da artrite é desconhecida, mas vários fatores, tais como hereditariedade, lesão e esforço nas articulações, podem favorecer o aparecimento dos sintomas. Sabe-se que as mulheres correm maior risco que os homens.

A artrite reumática também afeta mais as mulheres que os homens. Muitos terapeutas acreditam que certas formas podem estar associadas a um enfraquecimento do sistema imunológico, possivelmente desencadeado por uma alergia ou por infecções provocadas por vírus.

De acordo com especialistas em Homeopatia, Medicina Chinesa e Acupuntura, dores nas articulações geralmente representam a energia dos rins, e mesmo que o paciente apresente exames que sugerem atividade inflamatória, como é o caso da artrite e do reumatismo, no tratamento é necessário fortalecer este órgão.

Tratamentos

Os médicos convencionais do ocidente apenas podem tratar os sintomas da artrite. Suas receitas são de medicamentos para aliviar a dor e a inchação e fisioterapia para conservar as articulações flexíveis e fortalecer os músculos fracos. Em alguns casos, mais graves, as articulações artríticas podem muitas vezes ser substituídas por artificiais.

As substituições dos quadris são particularmente bem sucedidas. Também são receitados, em grande variedade, instrumentos auxiliares e aparelhos para ajudar as pessoas que têm artrite a manter sua independência, quando nenhum tratamento foi capaz de reverter o processo de desenvolvimento da doença.

Tratamento pela Acupuntura

São vários os tratamentos possíveis para a artrite na medicina convencional ocidental. No entanto, destacam-se os benefícios que a acupuntura pode trazer a esses pacientes, principalmente no que diz respeito ao alívio da dor e dos outros sintomas.

O fato de não haver efeitos secundários no tratamento com acupuntura, faz com que este método milenar seja preferido por muitos que estão cansados das medicações orais, cheios de contra-indicações e efeitos colaterais.

Há uma lista de doenças tratáveis pela Acupuntura, segundo a organização mundial de saúde publicada na revista A Saúde do Mundo, de dezembro de 1979, e a artrite está entre elas.

A acupuntura, além de atuar sobre a dor, também melhora a rigidez da articulação, o que produz ganhos para a função articular, onde é normalmente usada com eficácia.

Normalmente, após o diagnóstico, o médico especializado tratará os canais em desequilíbrio, via de regra concentrando-se nos meridianos do abdome, vesícula biliar, fígado, baço e estômago.

Pode-se aplicar moxibustão (queima de seda ou ervas aplicadas a pele) nos meridianos do abdome, bexiga, vesícula biliar e fígado.

Cabe lembrar, no entanto, que segundo estudos publicados pela Clínica Hong, a acupuntura funciona em cerca de 70 a 80% dos humanos e animais em que é utilizada. Já o efeito placebo é observado em aproximadamente 30% dos casos.

No entanto, alguns estudos científicos repudiam o uso da acupuntura, que é citada como “charlatanismo” em um artigo de Stephen Barret, MD. Ele cita um estudo realizado em 1990 por três epidemiologistas holandeses, que observaram 51 casos controlados de acupuntura para dor crônica e concluíram que “a qualidade mesmo dos melhores estudos provou ser medíocre… A eficácia da acupuntura no tratamento da dor crônica permanece incerta”.

Riscos

Stephen alerta também para alguns riscos, que considera bastante significativos, do uso da acupuntura.

De acordo com o especialista, a acupuntura pode causar tonturas, hematoma local (devido ao sangramento por um vaso sangüíneo perfurado, perfuração no pulmão, convulsões, infecções locais, hepatite B (por agulhas não esterelizadas), endocardite bacteriana, dermatite de contato e dano a nervos.

“As ervas usadas pelos praticantes da acupuntura não são regularizadas quanto a segurança, potência ou eficácia. Também existe o risco que um acupunturista, cuja abordagem diagnóstica não seja baseada em conceitos científicos, falhe em diagnosticar um problema perigoso”.

Entretanto, um estudo de cinco anos envolvendo 76 acupunturistas em instalações médicas japonesas tabulou somente 64 relatos de eventos adversos (incluindo 16 agulhas esquecidas e 13 casos de queda passageira da pressão arterial) associados com 55.591 tratamentos de acupuntura. Nenhuma complicação grave foi relatada.

Diante destes dados, os pesquisadores concluíram que reações adversas graves são incomuns entre os acupunturistas que receberam treinamento médico, o que leva à recomendação de que, na hora de buscar um tratamento com base na acupuntura, deve-se ter o cuidado de escolher um profissional que também seja graduado em uma boa faculdade de medicina

Fonte: www.drartidonio.com

Câncer de Mama

Câncer de Mama

Passado o impacto inicial do diagnóstico de câncer de mama, é fundamental que você saiba que não está sozinha e que, com informação e tratamento adequado, você tem chances de cura.

Todo câncer se caracteriza por um crescimento rápido e desordenado de células, que adquirem a capacidade de se multiplicar. Essas células tendem a ser muito agressivas e incontroláveis, determinando a formação de tumores malignos (câncer), que podem espalhar-se para outras regiões do corpo. O câncer também é comumente chamado de neoplasia.

O câncer de mama, como o próprio nome diz, afeta as mamas, que são glândulas formadas por lobos, que se dividem em estruturas menores chamadas lóbulos e ductos mamários. É o tumor maligno mais comum em mulheres e o que mais leva as brasileiras à morte, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca).

Segundo a Estimativa sobre Incidência de Câncer no Brasil, 2014-2015, produzida pelo Inca, o Brasil terá 576 mil novos casos de câncer por ano. Desses, 57.120 mil serão tumores de mama.

O câncer de mama é relativamente raro antes dos 35 anos, mas acima dessa idade sua incidência cresce rápida e progressivamente. É importante lembrar que nem todo tumor na mama é maligno e que ele pode ocorrer também em homens, mas em número muito menor. A maioria dos nódulos (ou caroços) detectados na mama é benigna, mas isso só pode ser confirmado por meio de exames médicos.

Quando diagnosticado e tratado ainda em fase inicial, isto é, quando o nódulo é menor que 1 centímetro, as chances de cura do câncer de mama chegam a até 95%. Tumores desse tamanho são pequenos demais para serem detectados por palpação, mas são visíveis na mamografia. Por isso é fundamental que toda mulher faça uma mamografia por ano a partir dos 40 anos.

Fatores de risco

001_cancer-de-mama_o-que-e_2

O câncer de mama – e o câncer de forma geral – não tem uma causa única. Seu desenvolvimento deve ser compreendido em função de uma série de fatores de risco, alguns deles modificáveis, outros não.

O histórico familiar é um importante fator de risco não modificável para o câncer de mama. Mulheres com parentes de primeiro grau (mãe ou irmã) que tiveram a doença antes dos 50 anos podem ser mais vulneráveis.

Entre outros fatores de risco não modificáveis estão o aumento da idade, a menarca precoce (primeira menstruação antes dos 11 anos de idade), a menopausa tardia (última menstruação após os 55 anos), nunca ter engravidado ou ter tido o primeiro filho depois dos 30 anos.

Já os fatores de risco modificáveis bem conhecidos até o momento estão relacionados ao estilo de vida, como o excesso de peso e a ingestão regular (mesmo que moderada) de álcool. Alterá-los, portanto, diminui o risco de desenvolver a doença. No entanto, a adoção de um estilo de vida saudável nunca deve excluir as consultas periódicas ao ginecologista, que incluem a mamografia anual a partir dos 40 anos.

Sintomas

O sintoma mais comum de câncer de mama é o aparecimento de um caroço. Nódulos que são indolores, duros e irregulares têm mais chances de ser malignos, mas há tumores que são macios e arredondados. Portanto, é importante ir ao médico. Outros sinais de câncer de mama incluem:

inchaço em parte do seio;

 

003-1_Sintoma_Thumb_2

irritação da pele ou aparecimento de irregularidades, como covinhas ou franzidos, ou que fazem a pele se assemelhar à casca de uma laranja;

 

003-1_Sintoma_Thumb_3

dor no mamilo ou inversão do mamilo (para dentro);

003-1_Sintoma_Thumb_4

vermelhidão ou descamação do mamilo ou pele da mama;

 



 

 

 

003-1_Sintoma_Thumb_5

saída de secreção (que não leite) pelo mamilo;

 

 

 

003-1_Sintoma_Thumb_6

caroço nas axilas;

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Detecção precoce

Câncer de Mama
O câncer de mama é uma doença grave, mas que pode ser curada. Quanto mais cedo ele for detectado, mais fácil será curá-lo. Se no momento do diagnóstico o tumor tiver menos de 1 centímetro (estágio inicial), as chances de cura chegam a 95%.
Quanto maior o tumor, menor a probabilidade de vencer a doença. A detecção precoce é, portanto, uma estratégia fundamental na luta contra o câncer de mama. Se a detecção precoce é a melhor estratégia, a principal arma para sair vitoriosa dessa luta é a mamografia, realizada uma vez por ano em toda mulher com 40 anos ou mais. É a partir dessa idade que o risco da doença começa a aumentar significativamente. A mamografia é o único exame diagnóstico capaz de detectar o câncer de mama quando ele ainda tem menos de 1 centímetro. Com esse tamanho, o nódulo ainda não pode ser palpado. Mas é com esse tamanho que ele pode ser curado em até 95% dos casos.

  • Autoexame

Durante muito tempo, as campanhas de conscientização para o câncer de mama divulgaram a ideia de que o autoexame das mamas, baseado na palpação, era a melhor forma para detectá-lo precocemente. Mas o tempo passou, a medicina evoluiu e as recomendações mudaram.

O autoexame continua sendo importante – mas de forma secundária. Quando o tumor atinge o tamanho suficiente para ser palpado, já não está mais no estágio inicial, e as chances de cura não são máximas.

Infelizmente, ainda há muita desinformação no Brasil. Uma pesquisa realizada em 2008 pelo Datafolha a pedido da Femama revelou que para 82% das mulheres o autoexame é a principal forma de diagnóstico precoce. Apenas 35% apontaram a mamografia.

A incidência do câncer de mama vem crescendo no mundo todo, mas, quando se trata do número de mortes causadas pela doença, as tendências variam. Em países desenvolvidos, a mortalidade vem caindo lentamente, ao passo que nos países em desenvolvimento, como o Brasil, registra-se um gradativo aumento.

Pelo menos parte dessa diferença se deve ao diagnóstico precoce, ainda precário no nosso país. Entre 1999 e 2003, quase metade dos casos de câncer de mama foram diagnosticados em estágios avançados, segundo estudo do Instituto Nacional de Câncer (Inca). Especialistas estimam que mortalidade por câncer de mama em mulheres entre 50 e 69 anos poderia ser reduzida em um terço se todas as brasileiras fossem submetidas à mamografia uma vez por ano.

Diagnóstico precoce

O câncer de mama é uma doença grave, mas que pode ser curada. Quanto mais cedo ele for detectado, mais fácil será curá-lo. Se no momento do diagnóstico o tumor tiver menos de 1 centímetro (estágio inicial), as chances de cura chegam a 95%, segundo a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama – Femama. Quanto maior o tumor, menor a probabilidade de vencer a doença. A detecção precoce é, portanto, uma estratégia fundamental na luta contra o câncer de mama.

Se o diagnóstico precoce é a melhor estratégia, a principal arma para sair vitoriosa dessa luta é a mamografia, realizada uma vez por ano em todas as mulheres com 40 anos ou mais. É a partir dessa idade que o risco da doença começa a aumentar significativamente.

A mamografia é o único exame diagnóstico capaz de detectar o câncer de mama quando ele ainda tem menos de 1 centímetro. Com esse tamanho, o nódulo ainda não pode ser palpado. Mas é com esse tamanho que ele pode ser curado em até 95% dos casos.

autoexame

autoexame

Durante muito tempo, as campanhas de conscientização para o câncer de mama divulgaram a ideia de que o autoexame das mamas, baseado na palpação, era a melhor forma para detectá-lo precocemente. Mas o tempo passou, a medicina evoluiu e as recomendações mudaram.

O autoexame continua sendo importante – mas de forma secundária. Ele é essencial para que a mulher conheça seu corpo, em especial sua mama, e possa perceber qualquer alteração. O autoexame pode ser feito visualmente e por meio da palpação, uma vez por mês, após o final da menstruação. Para as mulheres que não menstruam mais, o ideal é definir uma data e fazê-lo uma vez ao mês, sempre no mesmo dia. Entretanto, ele não substitui a importância do exame clínico feito por um profissional da saúde por meio da palpação e, menos ainda, a mamografia.

É fundamental que, além do autoexame, todas as mulheres acima dos 40 anos façam seus exames de rotina, entre eles a mamografia. Só ela pode detectar precocemente um nódulo pequeno e aumentar muito as chances de cura.

Fontes
1. National Comprehensive Cancer Network (NCCN) Clinical Practice Guidelines for Breast Cancer Screening and Diagnostic. Versão 1.2014. Consultado em 06 de outubro de 2014. Disponível em www.nccn.org

2. National Cancer Institute (NCI) Publication P017: What you need to know about breast câncer. Consultado em 06 de outubro de 2014. Disponível emhttps://pubs.cancer.gov/ncipl/detail.aspx?prodid=P017

3. Lei número 11.664, de 29 de abril de 2008. Consultada em 07 de outubro de 2014. Disponível emhttp://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/93804/lei-11664-08

 

mamografia

mamografia

A mamografia é um exame de raio-X, na qual a mama é comprimida entre duas placas de acrílico para melhor visualização. Em geral são feitas duas chapas de cada mama: uma de cima para baixo e uma de lado. Apesar da compressão da mama ser um pouco desagradável para algumas mulheres, é importante lembrar que ela não é perigosa para a mama. A dose de raios X utilizada nos aparelhos modernos é também muito baixa, e não deve servir de empecilho para a realização do exame.

Fundamental e insubstituível, a mamografia pode detectar nódulos de mama em seu estágio inicial, quando não são percebidos na palpação do autoexame feito pela mulher ou pelo profissional de saúde. Por serem pequenos, esses nódulos têm menor probabilidade de disseminação e mais chances de cura.

Por essa razão, as mulheres acima de 40 anos devem realizar a mamografia regularmente, em intervalos anuais. E, com a efetivação da Lei Federal nº 11.664/2008, em vigor a partir de 29 de abril de 2009, toda mulher brasileira tem direito a realizar pelo SUS sua mamografia anual a partir dessa idade.

Como todo exame médico, a mamografia está sujeita a deficiências. Acredita-se que cerca de 10% dos casos comprovados de câncer de mama não sejam detectados na mamografia, principalmente em mulheres jovens, que têm a mama densa. A ultrassonografia pode auxiliar no diagnóstico quando associada à mamografia e pode ser muito útil para detectar lesões duvidosas.

 

SAÚDE PREVENTIVA É O MELHOR REMÉDIO

Saúde preventiva é o melhor remédio

Quem nunca ouviu o ditado popular “Prudência e caldo de galinha não fazem mal a ninguém”? Essa frase serve tanto para evitar problemas no dia a dia, quanto para prevenir doenças. Nos últimos anos, a saúde preventiva vem sendo um desafio constante para médicos e órgãos governamentais de todo o mundo. Alimentação correta e mudança de hábitos são algumas dicas para prevenir as doenças mais comuns.

O médico Gerson Gold, coordenador da 3ª Enfermaria da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro, dá algumas dicas de como fazer a prevenção desde a infância até fase adulta. Segundo Gold, tudo precisa começar cedo. Quando criança, é necessário que os pais estejam atentos à carteira de vacinação, já que as doenças infecciosas são prevenidas com as vacinas. Ele também ressalta que é preciso manter uma alimentação correta e a higienização dos alimentos para evitar verminoses (comuns em legumes e saladas mal feitas).

Já entre a infância e a adolescência, é preciso ter muito cuidado com a diabete e a obesidade. De acordo com o médico, é possível prevenir futuros distúrbios evitando alimentos hipercalóricos. “Esses alimentos são muito atraentes e tem uma grande carga de gordura que pode transformar essa criança num adulto doente, com problemas como a diabete e a obesidade, que são mais comuns, e a aterosclerose, acúmulo de gordura nas artérias do coração”, alertou.

Na juventude, uma forma eficaz de prevenir doenças é ficar o mais afastado possível de substâncias que fazem mal ao organismo, como os anabolizantes. “Na maioria das vezes, as substâncias causam lesões nos músculos, lesões cardiovasculares e ainda destroem o fígado e o pâncreas”, informou ele, alertando para o consumo indiscriminado do álcool e do cigarro. Estudos já comprovaram que este consumo aumenta as chances de ter doenças como a pneumonia e até o câncer. Sete em dez fumantes apresentam doenças na velhice.

De 8 a 80

A expectativa de vida do brasileiro aumenta ano após ano, e para viver mais há uma receita muito simples: boa alimentação e exercício físico. Segundo o doutor Gerson Golden, o exercício físico, por pelo menos 30 minutos, aumenta a longevidade e a qualidade de vida da pessoa.

Uma boa noite de sono, por exemplo, é a conseqüência da prática de exercícios diários. Mas, atenção para a adequação dos exercícios à faixa etária. “É necessária a realização de um exame médico, com um clínico, para identificar alguma alteração que possa contra-indicar determinado exercício, disse Gerson Gold.

Na alimentação, dar preferência a frutas, legumes, verduras e cereais é outro fator de extrema importância para evitar doenças no futuro. Gorduras de origem vegetal, como azeite extra-virgem, óleo de soja e de girassol são ótimas opções. Evite, sempre que possível, as gorduras vegetais como margarinas e gorduras hidrogenadas, além dos enlatados, é claro. Manter o peso sob controle também é fundamental.

Ainda segundo Gold, consultar o médico periodicamente para fazer o famoso check-up e fazer exames clínicos também diminui, e muito, o risco de doenças. As mulheres precisam estar atentas às mamografias e ao exame Papanicolau. Já os homens, a partir dos 40 anos, precisam fazer anualmente o exame de próstata. “É imprescindível ter o controle da sua saúde”, disse.

Seguem outras dicas preventivas:

Doenças cardiovasculares: praticar exercício físico, não deixar o lazer de lado e fazer exames médicos periódicos.

Hipertensão: evitar o sal e os seus derivados.

Diabetes: evitar açúcar e os componentes açucarados, como os doces e bolos, e alimentos que pertencem ao grupo dos carboidratos. Estes são encontrados no pão e são transformados em açúcar dentro do organismo.

Doenças respiratórias: em casa, fazer uma limpeza periódica no ar-condicionado. Detectado algum problema procurar um alergista e fazer o teste para iniciar um tratamento. O mesmo vale para doença de pele: brotoeja e lesões vermelhas.

Doenças estomacais: evitar determinados alimentos como as frutas ácidas e alimentos mal feitos, que podem causar lesões leves, como a gastrite, e mais graves, como as úlceras gástricas e de duodeno (causado por estresse emocional). O uso de remédios também pode ser um grande vilão. Na 3ª idade evitar antiinflamatórios que podem causar essas inflamações.

8 de Março – Dia Internacional da Mulher

984f4885b367c59cc3c662482a3eaa21

Que traz beleza e luz aos dias mais difíceis que divide sua alma em duas para carregar tamanha sensibilidade e força.Que ganha o mundo com sua coragem, que traz paixão no olhar.

Mulher,
Que luta pelos seus ideais,
Que dá a vida pela sua família.

Mulher,
Que ama incondicionalmente
Que se arruma, se perfuma
Que vence o cansaço.

Mulher,
Que chora e que ri
Mulher que sonha…

Tantas mulheres, belezas únicas, vivas, cheias de mistérios e encanto!
Mulheres que deveriam ser lembradas, amadas, admiradas todos os dias.

Para você, mulher tão especial. Feliz Dia Internacional da Mulher!

 

ATENÇÃO HOMENS!!!!….Novembro Azul chegou, é a sua vez de se cuidar

Pesquisa internacional revela que os homens não dão importância aos sintomas de câncer de próstata. Saiba mais!

Cerca de 47% dos homens com a doença em estágio avançado desconhecem os sinais da doença

Por Redação – Publicado em 02 de outubro de 2015

Uma pesquisa realizada pela Coalizão Internacional para o Câncer de Próstata (IPCC, na sigla em inglês) divulgou que 47% dos homens com a doença em estágio avançado desconhecem e não dão importância aos sintomas. Ou seja, não comunicam aos médicos e perdem tempo para iniciar o tratamento e aumentar as chances de cura. O levantamento foi realizado com 900 pacientes e 360 cuidadores de 10 países (Alemanha, Reino Unido, França, Espanha, Itália, Holanda, Estados Unidos, Japão, Cingapura e Taiwan).

De acordo com a ONG britânica Cancer Care, 1,1 milhão de homens são afetados pelo câncer de próstata e provoca 307 mil mortes no mundo todos os anos. A doença é a segunda neoplasia mais frequente em homens depois da de pulmão. O estudo revela que cerca de 10% dos pacientes chegam na consulta pela primeira vez com o tumor disseminado para outros órgãos. Por isso, diagnosticar a tempo a doença pode salvar milhares de vidas.

Entretanto, detectar os sinais pode não ser tão simples, pois os sintomas não são específicos. Os mais comuns, de acordo com o estudo, são: cansaço (86% são afetados), dores nas costas (82%), dor generalizada (70%), fraqueza (67%) e dificuldade para dormir (62%), além da incontinência urinária.

Cerca de 39% dos homens aguentam esses sinais sem recorrer aos médicos durante meses ou até mesmo um ano. Além disso, 34% acreditam que falar sobre sua dor faz com que se sintam fracos e 38% dizem que é difícil falar da dor na qual estão imersos. Já 57% afirmam que a dor ou o desconforto diário é algo que precisam aprender a conviver e 59% afirmam que não sabem se a dor está relacionada com o câncer.

Câncer de próstatalogo-novembro-azul-interna

O que é?
É uma doença, na qual as células prostáticas podem sofrer modificações moleculares e se multiplicarem de forma descontrolada, podendo avançar e atingir outros órgãos, localmente ou à distância.

Sintomas
Em geral, apresenta crescimento muito lento, podendo levar anos para causar algum problema mais sério. Nas fases iniciais,

se apresenta silencioso, não causando nenhum sintoma específico. Com seu crescimento, pode causar sintomas urinários obstrutivos (diminuição do jato urinário, gotejamento após a micção, sensação de esvaziamento incompleto da bexiga, micção em dois tempos, retenção urinária) e/ou irritativos (aumento da frequência urinária, urgência, incontinência, aumento da frequência urinária noturna).

Ao crescer, o câncer de próstata pode acometer órgãos vizinhos, como a bexiga, ureteres ou reto, o que pode causar sintomas inespecíficos como dor pélvica, sangue na urina, inchaço escrotal, dor lombar e inchaço das pernas, quando os linfonodos da pelve e abdômen estão bastante comprometidos.

A maioria das metástases ocorre nos ossos, principalmente na coluna, quadril e costelas, o que pode ocasionar dor localizada nestas áreas. Nos casos mais avançados, pode haver presença de fraqueza, falta de energia e de apetite, e mesmo anemia. Entretanto, esses sintomas são inespecíficos, podendo em muitas vezes estar relacionados a outras causas.

Causas
As reais causas do câncer de próstata ainda são desconhecidas. Entretanto, já se sabe que ele é originado de desequilíbrios genéticos que causam alterações moleculares responsáveis pelo seu desenvolvimento. Fatores ambientais podem estar também envolvidos, desencadeando ou acelerando esse processo.

Fatores de risco
Todos os homens apresentam risco potencial de desenvolver câncer de próstata quanto mais se vive, ou seja, quanto mais idoso, maior o risco. Muitas vezes, entretanto, a doença segue um curso indolente, não sendo diagnosticada. Alguns grupos apresentam maior risco para desenvolvimento da doença: aqueles com parentes de primeiro grau que tiveram a doença e os indivíduos da raça negra.

Apesar de muitos fatores, como comportamento sexual, infecções por vírus ou bactérias e situação socioeconômica desfavorável, terem sido associados com o desenvolvimento da doença, não existem evidências sólidas que confirmem esta relação. Existe uma suspeita, ainda não confirmada, da associação de dietas ricas em gordura animal e obesidade com câncer de próstata mais agressivos.

Diagnóstico
Como inicialmente não há sintomas, é sugerido que todos os homens a partir dos 50 anos sejam avaliados anualmente através do toque retal e de dosagens sanguíneas de PSA, para o diagnóstico da doença. Aqueles com história de câncer de próstata na família (pai, irmãos, tios) e da raça negra devem iniciar essa avaliação aos 45 anos, devido ao maior risco associado.

Nas fases mais avançadas da doença, o diagnóstico pode ser suspeitado pela presença dos sintomas já descritos.

Prevenção
O termo “prevenir a doença”, quando utilizado, refere-se a uma série de medidas que visam na verdade a fazer um diagnóstico precoce da doença, detectá-la em estágios iniciais, o que aumenta muito as chances de cura – já que não há prevenção propriamente dita.

Tratamento
Dependerá do estágio da doença (localizado, localmente avançado ou avançado), da idade e das condições clínicas do paciente.

Naqueles com doença inicial, localizada na próstata, incluem-se como opções a vigilância ativa (apenas acompanhar a evolução do quadro), a cirurgia (prostatectomia radical, ou seja, a retirada da próstata) e a radioterapia (externa ou braquiterapia). Nos casos de doença localmente avançada, cirurgia e radioterapia são as opções objetivando a cura do paciente.

Nos casos avançados, o tratamento tem intenção paliativa, podendo-se optar por terapia de ablação hormonal e quimioterapia, associadas ou não a procedimentos cirúrgicos para aliviar o fluxo urinário e medicações para proteção óssea.

Fonte: http://portaldaurologia.org.br/

 

 

MULHER CONSCIENTE, PREVINA-SE

 

OUTUBRO ROSA

COMBATENDO O CÂNCER DE MAMA

Prevenção

A prevenção do câncer de mama não é totalmente possível em função da multiplicidade de fatores relacionados ao surgimento da doença e ao fato de vários deles não serem modificáveis. De modo geral, a prevenção baseia-se no controle dos fatores de risco e no estímulo aos fatores protetores, especificamente aqueles considerados  modificáveis.

Estima-se que por meio da alimentação, nutrição e atividade física é possível reduzir em até 28% o risco de a mulher desenvolver câncer de mama. Controlar o peso corporal e evitar a obesidade, por meio da alimentação saudável e da prática regular de exercícios físicos, e evitar o consumo de bebidas alcoólicas são recomendações básicas para prevenir o câncer de mama. A amamentação também é considerada um fator protetor.

A terapia de reposição hormonal (TRH), quando estritamente indicada, deve ser feita sob rigoroso controle médico e pelo mínimo de tempo necessário.

Mamografia: exame detecta o câncer de mama

Entenda como a mamografia é feita e a partir de qual idade é recomendada

mamografia é um exame radiológico para avaliação das mamas, feita com um aparelho de raio-X chamado mamógrafo. Pode identificar lesões benignas e cânceres, que geralmente se apresentam como nódulos, ou calcificações. Este exame é usado para detecção precoce do câncer de mama antes mesmo de ser identificado clinicamente por meio da palpação. O estudo Swedish Two-County Trial of mammographic screening, feito com 133.065 mulheres durante quase três décadas, mostrou que a mamografia regular pode reduzir em 30% as mortes do câncer de mama.

Tipos de mamografia

Existem dois tipos de aparelhos de mamografia: o convencional e o digital. Ambos utilizam o raio-X para a produção da imagem da mama. A diferença está na forma como ocorre a captação da imagem mamográfica.

  • Mamografia convencional: utiliza com um filme que após a exposição da mama ao raio-X deve ser processado. A imagem da mama é armazenada no próprio filme e caso haja algum problema técnico com o filme, este terá que ser refeito.
  • Mamografia digital: utiliza um detector que transforma o raio-X em sinal elétrico e transmite para um computador. A mamografia digital oferece vantagens em relação à convencional. A imagem mamográfica pode ser armazenada e recuperada eletronicamente. Permite ao radiologista ajustar as imagens, no próprio monitor da estação de trabalho, realçando ou ampliando alguma área, para melhor analisá-la. Existem, ainda, softwares que auxiliam na detecção de lesões. Com todas essas ferramentas, a mamografia digital pode requerer menor repetição de imagens em relação à analógica, reduzindo assim a exposição à radiação.
Mamografia digital tem imagem exibida no computador - Foto: Getty Images
Mamografia digital tem imagem exibida no computador

Até o momento, os estudos não demonstraram diferenças significativas entre a mamografia digital e analógica, com relação à capacidade de detecção do câncer de mama para a população geral. No entanto, a mamografia digital parece ser mais precisa do que a mamografia convencional em mulheres mais jovens e com mamas densas.

Indicações da mamografia

A principal indicação da mamografia é para o rastreamento do câncer de mama. Nesse caso, a mamografia deve começar a ser feita a partir dos 40 anos, anualmente, para mulheres da população geral. Porém, para aquelas que possuem casos de câncer de mama na família, em parentes de primeiro grau (mãe, irmã e/ou filha), o risco de câncer de mama pode ser maior que o da população geral. Nestes casos, a mamografia pode começar a ser feita 10 anos antes do caso mais precoce entre as parentes que tiveram a doença. Por exemplo: se uma mulher descobriu um câncer de mama aos 40 anos, sua filha deve começar a fazer mamografias anualmente aos 30 anos. A mamografia, porém, não é recomendada antes dos 25 anos porque a mama é mais susceptível à radiação nessa faixa etária. Mesmo mulheres que tiveram casos familiares muito cedo (aos 30 anos, por exemplo), devem esperar até os 25 para fazer a primeira mamografia. Antes disso, a indicação nesses casos são ultrassonografias.

A mamografia também é indicada para:

  • Fins de diagnóstico, como na avaliação de alguma queixa clínica (dor, presença de nódulo palpável ou alterações na aparência da mama)
  • A avaliação de alteração encontrada em outros exames de diagnóstico por imagem, como a ultrassonografia
  • Os homens também podem ter câncer de mama (em cada 100 mulheres com câncer 1 homem poderá ter a doença). Por isso, a mamografia pode ser usada também na avaliação da mama masculina (no aumento do volume denominado de ginecomastia ou presença de nódulo palpável).

Cuidados no dia da mamografia

  • implantes mamários. A técnica utilizada nestes casos é diferente, sendo necessárias incidências mamográficas adicionais
  • alteração na pele (presença de verrugas, cicatrizes cirúrgicas, queimaduras, alergias) ou caso já feztenha feito uma biópsia de mama. Ter este conhecimento poderá ajudar o médico no diagnóstico correto das alterações
  • Preocupação com uma área específica da sua mama. Mostre ao técnico para que esta possa ser analisada com mais atenção
  • Limitação de movimento como rigidez muscular, dificuldade para levantar os braços e outros problemas que poderão dificultar o posicionamento correto da mama
  • Sensibilidade ou alteração em alguma área da pele
  • Gravidez ou suspeita de gravidez (é importante saber a data da última menstruação), pois a radiação pode afetar a formação do bebê. Caso haja indicação clínica para realização do exame, este deverá ser feito utilizando um protetor abdominal.

Não se esqueça no dia do exame

  • Caso tenha mamografia ou outro exame de mama realizados anteriormente, leve os resultados. Às vezes, devido à apresentação muito sutil de um câncer, o único modo de se detectar uma alteração é a comparação dos exames anteriores, no qual se analisa o aparecimento ou modificação de um achado já presente
  • Não use desodorantes ou outros cosméticos na região da mama e axila, pois eles podem afetar os resultados.

Passo a passo da mamografia

A compressão causada pela mamografia pode causar certo desconforto à mulher, mas não deve machucá-la.

Mulheres que têm implantes mamários farão um maior número de incidências mamográficas, geralmente quatro em cada mama (ao invés de duas como na paciente sem implante). Duas delas devem incluir o tecido mamário e o implante, mas saiba que a mama será comprimida gentilmente para não causar danos. As outras incidências servem para analisar melhor o tecido mamário. Nestas, o implante será descolado em direção ao tórax, de forma a pegar o máximo de tecido mamário somente para ser comprimido

Duração do exame

Cada incidência mamográfica dura apenas alguns segundos. Geralmente, os exames são agendados a cada 15 minutos de forma que haja tempo suficiente para troca de roupa e posicionamento do paciente, além da realização de todas as incidências mamográficas que forem necessárias.

Recomendações pós-exame

A mamografia pode ser desconfortável no momento do exame, mas raramente a dor persistirá. Dessa forma, você poderá prosseguir o seu dia normalmente após o exame.

Periodicidade

  • Para pacientes assintomáticos, da população geral, o Colégio Brasileiro de Radiologia recomenda que se inicie a partir dos 40 anos e depois anualmente.
  • Pessoas com risco aumentado para câncer de mama poderão iniciar antes dessa idade, sendo que, nestes casos, devem seguir a orientação médica apropriada.
  • Pacientes que apresentam alguma alteração caracterizada pelos achados de imagem como provavelmente benignas fazem um controle a cada seis meses no primeiro ano e depois anual por dois anos, caso não haja alteração.

Grávida pode fazer mamografia?

Sim, caso haja indicação clínica. O câncer de mama também poderá aparecer durante a gravidez. Neste caso, é utilizado um protetor de chumbo no abdômen para proteger o feto.

Resultados da mamografia

A mamografia pode ser normal, ter achados francamente benignos, achados provavelmente benignos ou suspeitos. Cada paciente tem um tipo de mama, e a dificuldade na detecção de lesões é resultante em parte da composição de cada mama. Mamas mais gordurosas e com menor quantidade de tecido fibroglandular aparecem mais escuras na mamografia. O tecido fibroglandular na mamografia é relativamente mais branco (denso) do que a gordura. Portanto, quanto mais tecido fibroglandular a mulher tiver, mais densa será sua mama à mamografia e maior será a dificuldade na detecção de eventual câncer. Isto ocorre porque essas lesões têm densidade semelhante à da glândula, podendo ser encobertas por ela. Mulheres com implantes mamários também têm seu exame parcialmente prejudicado, pois o implante, sendo mais denso que o tecido mamário, poderá encobrí-lo e impedir a detecção de lesões. O laudo mamográfico segue a classificação e recomendação do BI-RADS, do Colégio Americano de Radiologia (ACR), que é mundial. Isso permite que um resultado de exame, feito em um determinado país, seja entendido em qualquer outra parte do mundo. A classificação varia de 0 a 6 como é visto no quadro abaixo:

Categoria Avaliação Conduta
0 Incompleta Outras incidências de mamografia ou ultrassonografias são necessárias
1 Negativa (nada encontrado) Rastreamento normal
2 Achados benignos Rastreamento normal
3 Provavelmente benignos Seguimento de 06 meses
4 Anomalias suspeitas, sendo A: menor suspeita; B: média suspeita; e C: maior suspeita Biópsia deve ser avaliada
5 Alta suspeita de malignidade Necessita esclarecimento definitivo
6 Já existe diagnóstico do câncer Câncer já confirmado anteriormente por exame histopatológico. Exame feito apenas para acompanhamento.

Resultados normais e benignos

Se for um exame completamente normal não vai ter nenhum achado adicional. Nos resultados categorizados como BI-RADS 2, são encontrados achados que com certeza são benignos e sem qualquer risco de malignidade.

Resultados anormais

Mamografia tem incidências analisadas com uma lupa - Foto: Getty Images
Mamografia tem incidências analisadas com uma lupa

Os resultado provavelmente benignos (BI-RADS 3) e aqueles suspeitos (BI-RADS 4 ou 5) geralmente aparecem na mamografia na forma de microcalcificações ou nódulos. As alterações são classificadas seguindo critérios estabelecidos no BI-RADS, o que gera uma conduta específica para cada caso. As lesões provavelmente benignas, com mínima chance de malignidade, requerem um acompanhamento em curto prazo, o que não interferirá no prognóstico. Ter um achado suspeito não significa tratar-se de um câncer. Indica que uma biópsia será necessária para analisar o tecido, que será analisado por um patologista que definirá a natureza da lesão. Ainda, dentro da classificação BI-RADS, o zero indicará a necessidade de um exame complementar, que poderá ser novas incidências de mamografia, ultrassonografia ou ressonância magnética.

Se confirmado, o nódulo é submetido a um ultrassom direcionado, para classificar a lesão e dar uma conduta ao achado, se ele é benigno, maligno ou precisará ser controlado. Quando a le~sao é suspeita ou muito suspeita, é realização a biópsia do tecido. As incidências serão analisadas mais detalhadamente, com uma lupa no caso da chapa física ou por uma ampliação digital, caso o resultado esteja em um computador.

No caso do homem com suspeita de ginecomastia, o exame irá avaliar a presença do crescimento de glândulas mamárias.


Segundo a lei Nº 11.664, de 29 de abril de 2008:

Art. 2º O Sistema Único de Saúde – SUS, por meio dos seus serviços, próprios, conveniados ou contratados, deve assegurar:

III – a realização de exame mamográfico a todas as mulheres a partir dos 40 (quarenta) anos de idade.

Feliz Dia Internacional da Mulher

0103120715lu

Mulheres fracas, fortes.

Não importa.

Mulheres mostram que mesmo através da fragilidade.

São fortes o bastante para erguerem sempre cabeça

Sem desistir, pois sabemos que somos capazes de vencer.

Temos a delicadeza das flores A força de ser mãe, O carinho de ser esposa, Reciprocidade de ser amiga, A paixão de ser amante, E o amor por ser mulher!

Somos fêmeas guerreiras, vencedoras, Somos sempre o tema de um poema Distribuímos paixão, meiguice, força, carinho, amor.

Somos um pouco de tudo Calmas, agitadas, lentas! Vaidosas, charmosas, turbulentas.

Mulheres fortes e lutadoras. Mulheres conquistadoras Que amam e querem ser amadas Elegantes e repletas de inteligência

Com paciência O mundo soube conquistar.

Mulheres duras, fracas.

Mulheres de todas raças

Mulheres guerreiras

Mulheres sem fronteiras

Mulheres… mulheres…

 Parabéns mulheres!